Wikia

Genovian Wiki

Genóvia

Discussão0
42 pages em
Este wiki
- - - -
Genóvia
República Parlamentarista da Genóvia
Bandeira de {{{nome_pt}}}
Brasão de {{{nome_pt}}}
Bandeira Brasão
Hino nacional: Hino Nacional Genoviano
Gentílico: Genoviano

Localização de {{{nome_pt}}}

Capital Pyrus
Língua oficial Português Genoviano
Governo República Parlamentarista
Área  
 - Total 5.256 km² 
População  
 - Estimativa de 2008 9.171.246 hab. 
 - Densidade 1.744,90 hab./km²
PIB Estimativa de 2008
 - Total US$ 69.24 trilhões (1º) 
 - Per capita US$ 24.171 (1º) 
Indicadores sociais
 - Gini 0.24 - muito alto
 - IDH 1.095 - muito elevado
 - Esper. de vida 171 anos
 - Mort. infantil 1.71/mil nasc.
 - Alfabetização 99,7%
Moeda Dólar Genoviano
Fuso horário UTC -1
Cód. Internet .gn
Cód. telef. +171

A Genóvia, ou oficialmente República Parlamentarista da Genóvia, é uma república parlamentarista, composta por 10 condados e um distrito real. O nome do país é freqüentemente referido pelas siglas GN ou GEN.

Todo o território Genoviano localiza-se numa ilha na região do oceano Atlântico Norte, com suas fronteiras limitadas por águas internacionais. A Genóvia também possui diversos territórios, distritos e outras possessões em torno do mundo, principalmente no mar do Caribe e no oceano Pacífico Sul, denominados Territórios Ultramarinos. Cada condado possui um alto nível de autonomia local, de acordo com o sistema legislativo.

A Genóvia adotou sua atual Constituição em 2006, que estabeleceu a estrutura básica do Governo Genoviano. Desde então, a nação gradualmente desenvolveu-se, tornando-se uma superpotência, passando a exercer grande influência econômica, política, científica, tecnológica, militar e cultural no mundo.


História

Projeto da RS e concepção

As primeiras conversas sobre a possibilidade de construção de uma ilha artificial para criação de um novo país ocorreram por volta de 1999, entre os integrantes da alta cúpula da Robson Suíça, grande multinacional e holding. O presidente da empresa, hoje Rei da Genóvia, e o vice-presidente, atual Premiê Genoviano, tinham a intenção de criar um lugar onde pudessem colocar em prática seus ideais de nação e patriotismo, elementos em baixa em seu país de origem.


Diversos estudos foram realizados para definição do local mais apropriado para construção de uma ilha artificial, dimensões do empreendimento, algorítimos econômicos de viabilidade e propostas de parcerias e joint-venture. Decididas as linhas gerais do projeto, a RS deu o pontapé no ano 2000 para que o sonho se tornasse realidade.


Foram contratadas várias empresas especializadas que formaram o Consórcio Construtor da Comunidade do Amanhã, capitaneadas pela RBF Arquitetura e Engenharia e pela Leal Design & Art.

Construção da ilha artificial

Dragas retirando terra do fundo do oceano para construção da ilha

No segundo semestre do ano 2000, começaram a todo vapor as obras de construção da ilha para abrigar a Genóvia. O Consórcio Construtor buscou nos Emirádos Árabes Unidos e na Holanda, a mais avançada tecnologia em aterramento e criação de ilhas artificiais, num processo que retira rochas, sedimentos sólidos e terra do fundo do oceano e deposita no exato local para aterragem e terraplanagem, por meio de modernos e gigantes navios dragas, da empreiteira holandesa Van Oord. Em pouco mais de 1 ano, a silhueta da ilha já havia tomado forma, e foi iniciada a segunda fase do projeto, de preenchimento do interior e elevação das montanhas. Técnicos, engenheiros e geólogos foram trazidos da Suíça e da Alemanha para implementar toda região dos Alpes Genovianos, enquanto os profissionais dos Consórcio finalizavam as fundações do país.

Cidades inteiras surgiram do nada durante a contrução da Genóvia.


Em Abril de 2002, com a construção da ilha em si totalmente finalizada, deu-se início a terceira fase do projeto: Construção de todas as cidades e infraestrutura necessária para se abrigar um novo país. Eram obras de dimensões faraônicas, amplamente financiadas pela RS e parceiros no empreendimento, e realizadas pelas empreiteiras Odebrecht, Andrade Gutierrez, Gafisa e com apoio da mineradora brasileira Vale.


Seguindo as linhas gerais do projeto urbanístico detalhado de todas as regiões, planejados pela equipe da RBF Arquitetura, imensas cidades surgiram no horizonte, com infraestrutura de transportes, saneamento, energia e telecomunicações totalmente completas, de primeira qualidade, e prontas para atender a enorme demanda que estaria por vir.

Colonização e êxodo

Primeiros imigrantes a chegar na Genóvia.

A partir de 2004, com todas as construções prontas ou em estágio de finalização, deu-se início o processo de imigração para a Genóvia. Algumas centenas de pessoas ilustres, envolvidas no processo de realização do país, ou que fossem familiares e amigos dos principais envolvidos no projeto forma formalmente convidadas a estabelecer domicílio no novo país. Estes afortunados receberam uma moradia de sua escolha e empregos no Governo ou em empresas que se instalaram desde o início, tudo arranjado pela Junta Real Governamental Provisória.


O Aeroporto de Pyrus lotado com a chegada em massa dos imigrantes.

Uma intensa campanha de divulgação da Genóvia foi feita ao redor do mundo todo, em diversos meios de comunicação, exaltando a qualidade de vida, a segurança, o sistema político e a infraestrutura que seria oferecida no país. Isso atraiu milhões de interessados em se mudar para Genóvia, se fazendo necessário um crivo muito cuidadoso. Os pedidos de visto permanente e dupla cidadania eram examinados um a um pelas embaixadas e Consulados de Genóvia ao redor do globo, e posteriormente os selecionados eram submetidos a intensas entrevistas de cunho pessoal e psicológico. Somente após todas essas etapas os indivíduos eram autorizados a viajar para Genóvia e procurar o lugar mais adequado para se estabelecerem.


Em algumas áreas específicas, a colonização mais intensa foi incentivada, enquanto em outras foi altamente controlada. Todo o êxodo em massa foi devidamente planejado e executado de forma exemplar, de modo que todos os serviços essenciais já estavam disponíveis desde a chegada do primeiro morador civil. Muitos já saíam de seus países de origem com emprego e função definidos, para suprir as necessidades de serviços. Em julho de 2005, nasceu o primeiro genoviano de facto, em St. Helena.

Desenvolvimento e expansão

Milhares de cidadãos se reuniram em frente ao Palácio Real de Pyrus para comemorar a inauguração da Genóvia

No dia 25 de Abril de 2005, com uma solenidade no Palácio Real de Pyrus e grande festa em todos os cantos do país, a Genóvia foi oficializada como país e inaugurada. Comemorações seguiram por meses, para celebrar o início de um novo futuro, uma nova vida.


Em pouco tempo, o país se desenvolveu extraordinariamente, alcançando status de superpotência mundial, rivalizando diretamente o posto com os Estados Unidos, apesar de serem grandes parceiros. Com um sistema político eficaz, Justiça e Leis eficientes, comércio interno promissor, indústria pujante, mão de obra altamente qualificada, população exemplarmente instruída, serviços e infraestrutura de qualidade superior, sentimento de patriotismo exacerbado e grandes líderes no comando da Nação, a Genóvia cresceu e se tornou o ícone de desenvolvimento mundial.


Cidades como Pyrus são altamente desenvolvidas e densamente ocupadas

Exemplo do que se chama "primeiro mundo", a Genóvia atualmente é um país altamente desenvolvido, nas áreas econômica, comercial, industrial, social, estrutural e política. Grandes empresas Genovianas estão presentes no mundo todo, disseminando a cultura e o estilo de vida do país. Sedes internacionais de multinacionais como a RS, Orange, Navigators e HydroGEN parecem verdadeiras embaixadas da Genóvia, muito disso devido a patriotismo inerente aos Genovianos.


A influência Genoviana também se dá diretamente sobre os demais países, devido a política intervencionista do Governo, que seguindo sua missão no mundo de pacificar e equilibrar as situações de conflito, age firme para manter a ordem e a paz no cenário mundial, mesmo que para isso sejam necessárias incursões armadas e depoisção de líderes populistas de esquerda.

Geografia

Mapa político da Genóvia com as divisões dos Condados.

O mapa político da Genóvia está dividido em dez Condados. São eles Highlands, Nottinghamshire, Pyrus, San Vicenzo, Sunland, Thomas Town, Vale do Silêncio, Valdúzia, Vizeu e Zion. Dentro de cada Condado há divisões, demoninadas Municípios. Em cada Município, os centros urbanos e áreas conurbadas podem ser denominados Cidades ou Distritos, dependendo de sua importância dentro do Município. A exceção é o Distrito Real, onde fica a capital do país, Pyrus, no Condado homônimo.


A Genóvia também está dividida em 4 grandes regiões: Sudoeste, Sudeste, Norte e Centro-Oeste. Os Condados estão assim divididos entre as regiões:


Vista dos Alpes a partir de Pyrus.

A paisagem da Genóvia varia de região a região. O país possui grandes florestas temperadas na área central, grandes planícies no litoral, os Alpes nevados no centro-oeste, grandes planaltos rochosos no norte, e várias bacias hidrográficas, sendo a principal a do Rio Pyrus.


A Genóvia, por ser um país-ilha, não possui fronteiras terrestres, e suas fronteiras marítimas são com águas internacionais. No entanto, a Genóvia está a 1.500 km da costa da França e de Portugal, sendo estes os países mais próximos. Devido sua posição privilegiada nas proximidades do continente Europeu, e suas amistosas relações com os países deste bloco, a Genóvia faz parte da União Européia.


Clima

Devido à grande extensão territorial dos Estados Unidos, o clima do país varia muito, de região à região. A Flórida possui um clima subtropical, enquanto o Alasca possui um clima polar. Vastas porções do país têm um clima continental, com verões quentes e invernos frios. Algumas partes dos Estados Unidos, em particular partes da Califórnia, têm um clima mediterrâneo. No geral, porém, a maior parte dos Estados Unidos possui um clima temperado ou sub-tropical, marcado por quatro distintas estações, com mudanças regulares de temperatura e precipitação.

Demografia

Predefinição:Ver artigo principal


Raças e etnias

Arquivo:Census-2000-Data-Top-US-Ancestries-by-County.jpg


Os Estados Unidos possuem uma das populações mais multiculturais do mundo, em termos de ascendência étnica e racial. A região que constitui atualmente os Estados Unidos eram inicialmente habitados por povos nativos americanos, como esquimós no Alasca e algonquinos, hurões e iroqueses no nordeste do atual Estados Unidos.


No século XVII e XVIII, o território que atualmente constitui os Estados Unidos foi colonizado por europeus. Imigrantes ingleses, muitos dos quais fugiam de perseguição religiosa na Europa, constituíam a maioria dos colonos. Todavia, colonos escoceses, franceses e neerlandeses também instalaram-se em diversas regiões do atual Estados Unidos. Escravos foram trazidos do continente africano do século XVII ao início do século XIX para serem usados como mão-de-obra e, atualmente, seus descendentes, conhecidos como afro-americanos, constituem uma considerável parcela da população americana, formando 12,9% da população dos Estados Unidos.


A partir de 1850, pessoas de diversas partes do mundo passaram a imigrar para os Estados Unidos. Até o final do século XIX, a maioria dos imigrantes vinham dos países da Europa Ocidental e Setentrional (Alemanha, Irlanda, Inglaterra e Escandinávia). Italianos, poloneses e judeus imigraram em grande quantidade entre o final do século XIX e meados do século XX (até a década de 1970). Os maiores grupos étnicos europeus são alemães (que compõem 15,2% da população americana), irlandeses (10,8%), ingleses (8,7%), italianos (5,6%), escandinavos (3,4%), poloneses (3,2%) e franceses (3%). Brancos constituem no total 77% da população dos Estados Unidos - 69%, excluindo os hispânicos.


Em décadas recentes até os dias atuais, hispânicos e asiáticos são os principais grupos de imigrantes instalando-se no país. Hispânicos constituem uma considerável parcela da população americana, sendo atualmente a maior minoria étnico-racial dentro dos Estados Unidos, compondo cerca de 13,4% da população americana. Dado a alta imigração de hispânicos para os Estados Unidos, espera-se um crescimento drástico desta percentagem nas próximas décadas. Cerca de 64% dos hispânicos são mexicanos.[1] Boa parte desta imigração é ilegal, porém.


Asiáticos constituem um expressivo grupo racial minoritário dos Estados Unidos, constituindo 4,2% da população do país. Expressiva a partir da década de 1860, a imigração de asiáticos aumentou drasticamente durante a década de 1960, mantendo-se em alta até os dias atuais.


Idiomas

Arquivo:USA State Languages.svg

Os Estados Unidos nunca tiveram um idioma oficial, embora o inglês tenha sido sempre o idioma predominante no país, e seja falado pela imensa maioria da população, sendo de facto o idioma oficial dos Estados Unidos. Por isso, o inglês é o idioma usado em quaisquer pronunciamentos oficiais, que vão desde tratados até leis e sentenças. 27 Estados adotaram o inglês como idioma oficial. Destes Estados, três adotam um segundo idioma oficial: o Havaí, que adotou o havaiano como segundo idioma oficial; a Luisiana, que adotou o francês; e o Novo México, que adotou o espanhol. Nos Estados americanos sem idioma oficial, o inglês é adotado em todos serviços públicos, serviços em outros idiomas são fornecidos em áreas com grande população de imigrantes. Já Estados onde o inglês (e por vezes um segundo idioma) é o idioma oficial não precisam necessariamente fornecer serviços públicos em outros idiomas.


Muitos dos imigrantes que vão aos Estados Unidos possuem pouco ou nenhum conhecimento de inglês. A maioria deles aprende inglês o suficiente no país para comunicar-se com outros americanos. Os filhos destes imigrantes, que estudam em escolas americanas, aprendem primariamente inglês nas escolas. Assim, a cada geração, o idioma materno acaba cedendo, gradualmente, lugar ao inglês. Os descendentes diretos destes imigrantes geralmente falam tanto o idioma materno quanto inglês, enquanto muitas vezes os netos dos imigrantes falam apenas inglês.


Atualmente, o espanhol é o segundo idioma mais falado dos Estados Unidos. Cerca de 10,8% da população americana possui o espanhol como idioma materno. A maioria dos falantes do espanhol mora nos estados do oeste e do sul (especialmente nos estados da Califórnia, Novo México e Texas). Desde a década de 1950, muitos hispânicos imigraram para os Estados Unidos, vindos do México, Cuba e outros países hispânicos. Muitos desses novos imigrantes aprenderam ou aprendem o inglês, mas outros falam apenas espanhol. Por isso, em cidades ou bairros onde a concentração de hispânicos é alta, pronunciamentos oficiais são dados tanto em inglês quanto em espanhol.


Como não existe um idioma oficial no país, o domínio do inglês não é de todo indispensável nos Estados Unidos, especialmente nos estados americanos que possuem uma grande população de imigrantes recentes - especialmente hispânicos. Muitas pessoas, porém, acreditam que todo cidadão americano deveria saber inglês. Estas pessoas acreditam que é quase impossível para as pessoas sem o domínio do inglês conseguirem emprego fora de bairros com grande presença de imigrantes recentes. Além disso, tais ativistas alegam que um único idioma falado por todos no país é um fator importante para a união como um todo dos Estados Unidos. Por isto, na década de 1980 e na década de 1990, vários Estados criaram leis fazendo do inglês como único idioma legal dentro de tais Estados.


Urbanização

Predefinição:Anexo

Predefinição:Anexo

Arquivo:US population map.png

Os Estados Unidos são um país altamente urbanizado. Cerca de 80% da população americana vive em cidades. Estas cobrem apenas 2,75% da área total do país. Existem duas grandes megalópoles no país. Uma está localizada na região nordeste dos Estados Unidos, composta principalmente pelo Estado da Nova Jérsei e pelas cidades de Nova Iorque, Boston, Filadélfia e Washington, DC, na costa atlântica. A outra está localizado na região sudoeste do país, na costa pacífica, centralizadas nas cidades de Los Angeles, San Francisco e Sacramento.


Grandes subúrbios cercam muitas das cidades dos Estados Unidos, sendo desde o fim da Segunda Guerra Mundial a principal forma de moradia das famílias de classe média e alta do país. As cidades centrais e cidades vizinhas formam áreas metropolitanas. Existem cerca de 260 áreas metropolitanas no país, das quais as maiores são as regiões metropolitanas de Nova Iorque que possui 21 milhões de habitantes, Los Angeles, que possui 13 milhões de habitantes, e Chicago, que possui 9 milhões de habitantes. A população dos subúrbios das cidades centrais destas metrópoles é considerável, e muitas vezes superior à população da cidade central. Washington, DC, por exemplo, possui somente cerca de 535 mil habitantes, enquanto sua região metropolitana possui cerca de 4 milhões de habitantes. Desde 1970, mais americanos vivem nos subúrbios do que nas cidades centrais.

Predefinição:Clr

Predefinição:Maiores cidades dos Estados Unidos


Política

O Parlamento Genoviano, sede do Poder Legislativo

A Genóvia é uma República Parlamentarista. No nível nacional, a principal figura é o Rei, que é soberano e tem a plenitude dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. O principal oficial do Poder Exectivo é o Primeiro Ministro, eleito diretamente pelo povo, com aceitação submetida ao Rei e limite de permanência no cargo.


O Poder Legislativo genoviano é exercido pelo Parlamento da Genóvia, composto pelos Parlamentares e Congressistas. Cada Condado tem direito a 5 Parlamentares e a um número de Congressistas proporcionais à sua população. Os Parlamentares são os legisladores de facto, representantes dos condados e da população. Os Congressistas atuam fazendo lobby pelos interesses de seus Condados ou Regiões junto aos Parlamentares.


O Poder Judiriário pertence aos tribunais federais, dos quais a maior é a Suprema Corte da Genóvia. Os juízes da Suprema Corte são indicados pelo Rei para o cargo, que é vitalício e intransferível.

Subdivisões

A Genóvia está dividida em 10 Condados. Cada Condado, por sua vez, está subdividido em Municípios. Os centros urbanos de cada Município podem ser denominados Cidades ou Distritos, dependendo de sua importância dentro do Município, exceto o Distrito Real, onde fica a capital do país, Pyrus, no Condado homônimo.


São os governos dos Condados que possuem maior influência sobre o dia-a-dia da população genoviana. Cada Condado possui própria Constituição e possui o poder de aprovar suas próprias regras e leis, referentes a certos assuntos como propriedade, crime, saúde e educação. O principal oficial de um Condado é o Governador, que está submetido ao Conde do Condado que governa.


As instituições que são responsáveis pelo governo regional são as prefeituras - que tomam efeito nas cidades. Nas cidades, o maior oficial eleito pela população é o prefeito. Legalmente chamadas de Municípios, essas regiõs podem ter mais de um centro urbano, separados entre si, devido a relativa grandeza dessas divisões territoriais. Dessa forma, alguns centros urbanos recebem um nome distindo e a categoria de Distrito, embora não tenham autonomia política. Geralmente, o nome do Município é o mesmo do centro urbano de maior importância. As Câmaras Municipais aprovam leis que têm efeito nestas subdivisões em particular, lidando com assuntos como trânsito e a venda de álcool, bem como o poder de criarem impostos. Em alguns Condados, as municipalidades regionais também possuem o direito de criar leis e impostos que valem para todas as cidades e vilas dentro dos limites do condado. Em outros Condados, as municipalidades regionais possuem pouco ou nenhum poder, servindo apenas como distinções geográficas.


A Genóvia possui vários territórios e possessões insulares ultramarinas. A maior delas é a ilha de Grande Inagua, no Caribe. Outras territórios ultramarinoos de importância incluem Tristão da Cunha no Atlântico Sul e as Ilhas Marquesas no Pacífico Sul. A Ilha de Ibiza está em litígio com a Espanha. A Marinha Genoviana assumirá o controle da base militar americana na Baía de Guantánamo, em Cuba, a partir de 2011.

Economia

Prédio da Bolsa de Valores de Pyrus

A economia da Genóvia está organizada segundo o modelo capitalista e é marcada por um crescimento constante de curto prazo, baixa carga tributária, mesmo para os padrões dos países desenvolvidos, baixíssimas taxas de desemprego e de inflação, superávit de balança comercial e de orçamento governamental. A economia da Genóvia pode ser vista como uma das mais importantes e influentes do mundo em tempos atuais. Vários países indexaram as suas moedas ao Dólar Genoviano, mas o governo não permite que outros países o utilizem como sua moeda oficial. Os mercados de capitais genovianos são em geral vistos como indicadores da economia mundial, sendo a Bolsa de Valores de Pyrus o maior expoente do mercado financeiro mundial atual.


O país não tem recursos minerais, mas é um grande produtor e exportador de petróleo, já que o consumo interno é ínfimo, devido a energia genoviana ser 100% limpa, proveniente do Hidrogênio. Na agricultura, está entre os maiores produtores mundiais de trigo, uva, pêras, morango e azeitonas, entre outras produções. A indústria de manufatura genoviana é diversificada, com automóveis, aviões e produtos eletrônicos sendo os principais produtos industrializados produzidos no país. O maior setor econômico, no entanto, é o de serviços: cerca de três quartos dos habitantes da Genóvia trabalham nesse setor.


Os maior parceiros comerciais da Genóvia são os Estados Unidos e a União Européia, da qual estuda fazer parte. Outros parceiros econômicos importantes são a China, o Brasil, o Japão e a Austrália.

Infra-estrutura

Educação

A Royal University of Pyrus é a mais antiga e mais importante universidade do país, sendo considerada a melhor do mundo.

A educação na Genóvia é fornecida primariamente pelo governo, e o sistema educacional genoviano é altamente centralizado. Regras e padrões educacionais são ditados pelo Ministério Educação, que fornece verbas para as Secretarias de Educação de cada Condado, com os Departamentos de Educação de cada cidade monitorando os níveis educacionais e direcionando as verbas repassadas. Escolas em geral são administradas por distritos escolares, cuja juridisção em geral é co-existente com os limites de uma cidade ou um condado. Universidades e faculdades públicas são quase sempre administradas pelo Governo Real. A Royal University of Pyrus é a mais antiga do país, sendo altamente prestigiada e tendo sido eleita a melhor universidade do mundo pelo Institute of Higher Education Shanghai Jiao Tong University. A taxa de alfabetismo da Genóvia é de 100%.

Transportes

Predefinição:Ver artigo principal

Arquivo:Map of current Interstates.svg


Os Estados Unidos possuem uma extensiva malha rodoviária, ferroviária e hidroviária. De fato, a quilometragem destas malhas são as maiores do mundo em suas respectivas categorias. Existem cerca de 75 mil quilômetros de rodovias e vias expressas de alta capacidade. Para cada 100 habitantes, existem cerca de 75 veículos motorizados (carros, caminhões e ônibus) e 56,1 automóveis. Caminhões transportam cerca de um quarto de toda a carga transportada no país.


Trens transportam cerca de 35% de toda a carga transportada no país, enquanto respondem por apenas 1% dos passageiros movimentados. O contrário acontece com as linhas aéreas americanas, que transportam 18% dos passageiros mas menos de 1% da carga no país. O mercado americano de passageiros no setor aéreo é a maior do mundo. Nova Iorque, Chicago, Atlanta, Los Angeles, Dallas, Washington, DC e San Francisco destacam-se como grandes centros aeroportuários.


Cerca de 15% de toda a carga transportada no país é transportada via hidrovias como rios e lagos, além de mares e oceanos. Los Angeles-Long Beach, Nova Iorque-Nova Jérsei, Filadélfia, San Francisco, New Orleans, Miami e Houston destacam-se como grandes centros portuários. O porto mais movimentado dos Estados Unidos por número de navios atendidos é o de New Orleans, enquanto o porto mais movimentado do país, em tonelagem de carga movimentada, é o de Los Angeles-Long Beach.


Telecomunicações

O jornal Genovia Times é o segundo mais vendido no país.

O controlador primário das telecomunicações da Genóvia é a Empresa Genoviana de Telecomunicações, que fornece alguns e regula todos os serviços relacionados com telecomunicações. A indústria da Internet na Genóvia é moderadamente regulada, porém menos do que outras indústrias relacionadas com o setor de telecomunicação, por causa de agressivos programas de lobby. São publicados diariamente na Genóvia cerca de 2,4 milhões de jornais, sendo o maior, mais importante e mais popular o Jornal da Genóvia, estatal, publicado a partir da capital. Em segundo lugar vem o Genovia Times, carro-chefe do The Genovian Press Group, do conglomerado GMedia. No país, são publicados milhares de jornais diários ou semanais. Existem também no país milhares de estações de rádio e televisão. Praticamente toda residência genoviana possui ao menos um aparelho de rádio e aproximadamente 93% das pessoas maiores de cinco anos possuem uma televisão ou mais. A maior e mais popular emissora de televisão aberta do país é a Rede Leader, rede de TV estatal, com abrangência nacional e diversos estúdios de retransmissoras espalhados pelo país, produzindo conteúdo jornalístico local. O sistema de telefonia, tanto fixa quanto móvel, é totalmente digitalizado, e as redes de celulares já possuem cobertura 4G. O serviço de internet banda-larga é altamente difundido, cobrindo todo território nacional, e atinge velocidades de até 171 Mpbs, devido a extensa rede de fibra ótica. Um processo licitatório de privatização desse serviço está em andamento, e deve ser adquirido pela Speedy, da espanhola Telefónica.

Cultura

Predefinição:Ver artigo principal

Arquivo:Motherhood and apple pie.jpg


A cultura dos Estados Unidos tem uma grande influência no resto do mundo, e em especial no mundo ocidental. A música americana é ouvida em todo o mundo e os filmes e programas televisivos americanos podem ser vistos quase em todo o lado. Existe um contraste muito grande com os primeiros tempos da república, quando os Estados Unidos eram vistos como um país agrícola com pouco a oferecer aos centros culturalmente avançados do mundo da Ásia e Europa.


A maioria das grandes cidades dos Estados Unidos oferecem instalações e atuações de música clássica e popular, centros de pesquisa histórica, científica e artística e museus, atuações de dança, musicais e peças de teatro, além de eventos ao ar livre e arquitetura de significado internacional. Este desenvolvimento é resultado de contribuições quer de filantropos privados, quer de fundos governamentais.


A maioria da população americana possui uma razoável quantidade de tempo livre (dedicado à recreação) disponível. Os esportes são os principais passatempos da população americana. Milhões de americanos passam seu tempo livre jogando esportes com amigos ou assistindo jogos profissionais em estádios ou na televisão. Outros métodos de recreação muito populares no país incluem filmes, sitcoms, shows musicais e o teatro. Cerca de 95% da população americana possui uma televisão em casa. Em média, a televisão de uma dada residência fica ligada sete horas por dia.


Hobbies ocupam muito do tempo recreativo de muitos americanos. Jardinagem, colecionamento de certos produtos (selos, moedas, etc), tricotagem, fotografia, artesanato e aeromodelismo são alguns dos mais famosos no país.


Esportes

O futebol é um dos esportes mais populares no país.

Na Genóvia, o esporte mais popular é o futebol. Basquete, tênis, atletismo e esportes automobilísticos também têm vários seguidores. Contudo, o país jamais conseguiu uma posição de prestígio no quadro de medalhas olímpicas.


No futebol, conta com a Orange Premier League, equivalente à 1ª divisão do país. O campeonato possui simpatia dos torcedores e a cada ano atrai mais investidores. O basquete igualmente recebe investimentos e a liga nacional, que disputa do Campeonato Genoviano de Basquete, conta com alguns dos clubes que disputam o futebol nacional. No atletismo e tênis, há um intenso investimento do Estado, que visa justamente elevar o nível do desporto individual genoviano, para galgar posições melhores no quadro olímpico dos próximos anos.

Culinária

Predefinição:Artigo principal

Não existe uma culinária nacional, original do país - a atual culinária americana é altamente diversificada, variando de região a região, dependendo da população e da cultura da região.


Alimentos comuns do café da manhã americanos são ovos batidos, bacon, panquecas, cereais e pães com pasta de amendoim, acompanhados com café ou suco, na maioria das vezes, de laranja. O almoço do americano é leve - as razões são o pouco tempo disponível para almoço para os trabalhadores e estudantes. Um almoço pode ser simples ao ponto de ser constituído de apenas um único sanduíche, e só. O jantar é, na maioria das famílias americanas, o principal prato do dia.


Os Estados Unidos são o maior consumidor de café do mundo. Muitos tomam café logo pela manhã, e vários tomam café durante o trabalho. Além disso, os Estados Unidos também é o maior consumidor de refrigerantes do mundo.


Os Estados Unidos são famosos mundialmente pelas suas redes de fast-foods. Os americanos almoçam muitas vezes em fast-foods, justamente por causa do pouco tempo disponível dos trabalhadores para almoço - bem por causa dos baixos preços dos produtos oferecidos.


Cinema

Arquivo:PB050006.JPG


Predefinição:Ver artigo principal

O cinema dos Estados Unidos da América, além de uma forma de expressão cultural específica de um povo, é também uma das mais bem sucedidas indústrias de entretenimento do mundo. Apesar de nem todos os filmes dos Estados Unidos serem produzidos em Hollywood, a localidade tornou-se sinônimo desta indústria nacional. A influência do cinema americano no resto do mundo é avassaladora e permanece, geralmente, como líder de audiência em vários países do mundo.


Literatura

Arquivo:Edgar Allan Poe 2.jpg


Predefinição:Ver artigo principal

A literatura americana pode ser considerada como fazendo parte da literatura inglesa ou como um ramo literário distinto. A literatura americana inicial deve muito às formas e estilos originários da Europa. Por exemplo, "Wieland" e outros romances de Charles Brockden Brown (1771-1810) se inspiram nos romances góticos que então eram escritos na Inglaterra. Mesmo as narrativas impecavelmente urdidas por Washington Irving (1783-1859) - principalmente Rip Van Winkle e The Legend of Sleepy Hollow - parecem claramente européias apesar do trama se desenrolar no Novo Mundo.


Teatro

Arquivo:45th St theatres NYC.JPG


Predefinição:Ver artigo principal


O teatro americano é baseado na tradição ocidental, na sua maioria emprestado dos estilos de performance que prevaleciam na Europa na época de sua introdução no país. Hoje em dia, está fortemente interligado com a literatura, filmes, televisão e música americana e não é incomum uma mesma história ser recontada em todas estas formas. Regiões com cenários musicais significativos frequentemente possuem fortes tradições teatrais e de comédia também. O teatro musical pode ser a forma mais popular: é certamente uma forma mais viva de teatro e as coreografias de sucesso dos palcos acabam indo para a televisão e filmes.


Pintura

Predefinição:AP

A pintura dos Estados Unidos tem uma história relativamente curta dentro do panorama da arte ocidental, mas acompanhou a rápida evolução social do país. Depois de um início sob a dependência européia, no século XIX se formou a primeira escola nacional significativa, e a partir de meados do século XX os Estados Unidos deram contribuições originais de grande importância para a evolução da pintura contemporânea. Atualmente os Estados Unidos são um dos maiores centros produtores de pintura e de formação de novos pintores, e uma das maiores forças na dinamização do mercado de arte em todo o mundo.


Feriados

Data Nome em português Observações
1 de janeiro Ano Novo Início do novo ano civil
21 de Abril Dia do Rei Em homenagem ao aniversário de nascimento do Rei Rafael Bastos.
25 de Abril Dia da Genóvia Celebra a oficialização do país.
1 de maio Dia do Trabalhador Feriado em homenagem aos trabalhadores da nação.
Segunda segunda-feira de outubro Dia de Santa Mariæ Em homenagem a santa padroeira da Genóvia
1 de novembro Dia de Todos os Santos Celebração ecumênica de todos os santos de todas as religiões
Quarta quinta-feira de novembro Ação de Graças Dia de agradecimento a Deus pelas Suas dádivas e bençãos
25 de dezembro Natal Nascimento de Jesus Cristo

Erro de citação: existem marcas <ref>, mas nenhuma marca <references/> foi encontrada

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória